Ouça agora

“Do Desapego ao Amor” é uma ode à catarse provocada pelos relacionamentos liquidos que permitem a contemporaneidade. O álbum é a estreia de Juyè (@juyewhin) no selo Pirâmide Perdida (@piramideperdida). A cantora, já conhecida por feats como Bk, Djonga, 1Kilo e participações em projetos como o Poesia Acústica, traz a público seu primeiro álbum. A obra é constituída por 10 faixas, sendo 5 delas feats com convidados especilíssimos. A história consiste em uma narrativa sobre amor, desilusão e a eterna busca humana por aceitar as chegadas e partidas que acontecem no decorrer da vida. O álbum tem como cerne a discussão sobre as relações efêmeras que permeiam a sociedade contemporânea e seus aspectos, trazendo a perspectiva do indivíduo real, aquele que chora, ri, ama, ilude e desilude, fazendo parte desse ciclo e tentando entender a impermanência.

Juyè diz que a obra foi fundamental nesse momento da sua vida, já que cumpriu o papel de ajudá-la a enfrentar o luto pela morte de seu filho Noaw e se preparar para a chegada de Joanna. para ela, esse álbum é um convite para o público conhecê-la melhor e sentir o amor depositado por toda a equipe nessa produção.

“Do Desapego ao Amor” é uma ode à catarse provocada pelos relacionamentos liquidos que permitem a contemporaneidade. O álbum é a estreia de Juyè no selo Pirâmide Perdida. A cantora, já conhecida por feats como Bk, Djonga, 1Kilo e participações em projetos como o Poesia Acústica, traz a público seu primeiro álbum. A obra é constituída por 10 faixas, sendo 5 delas feats com convidados especilíssimos. A história consiste em uma narrativa sobre amor, desilusão e a eterna busca humana por aceitar as chegadas e partidas que acontecem no decorrer da vida. O álbum tem como cerne a discussão sobre as relações efêmeras que permeiam a sociedade contemporânea e seus aspectos, trazendo a perspectiva do indivíduo real, aquele que chora, ri, ama, ilude e desilude, fazendo parte desse ciclo e tentando entender a impermanência.

Juyè diz que a obra foi fundamental nesse momento da sua vida, já que cumpriu o papel de ajudá-la a enfrentar o luto pela morte de seu filho Noaw e se preparar para a chegada de Joanna. para ela, esse álbum é um convite para o público conhecê-la melhor e sentir o amor depositado por toda a equipe nessa produção.

Ouça agora

Disponível em todas as plataformas

As tracks bebem diretamente de fontes como R&B, NeoSoul, Jazz e MPB. A voz melódica e potente de Juyè encontrou um par ideal na direção musical feita por El Lif Beatz – que também assina a produção executia, Magno Brito e Pedro Malcher. A captação foi realizada na Cia dos Técnicos Studios por Arthur Luna, que também foi o responsável pela mixagem e masterização do projeto. O primeiro projeto solo de Juyè conta com a participação de Ainá, BK’, Thiago Jamelão, Laura Sette, CHS e scratches da DJ Cinara. Os músicos Davi Moraes, Rodrigo Tavares, Diogo Gomes, Filipe Coimbra e Canequinha também contribuíram para a obra.

FICHA TÉCNICA:

COMPOSIÇÕES: Juyè Ewhin, Ainá Garcia, Abebe Bikila, Gustavo Reis, Thiago Pereira Reis, Laura Sette, Felipe Perdigão Hiltz, Magno Brito e Pedro Malcher. INTÉRPRETES: Juyè, Ainá, CHS, Bk, Thiago Jamelão e Laura Sette. PRODUÇÃO MUSICAL: El Lif Beatz, Magno Brito e Pedro Malcher. MÚSICOS ACOMPANHANTES: Davi Moraes, Diogo Gomes, Rodrigo Tavares, Filipe Coimbra e Canequinha. SCRATCHES: DJ Cinara. ENGENHEIRO DE GRAVAÇÃO: Arthur Luna. CAPA E IDENTIDADE VISUAL: Duda Morteo. FOTOS: Rafael Rodrigues Alves Barbosa. DIREÇÃO MUSICAL: El Lif Beatz, Magno Brito e Pedro Malcher. PRODUÇÃO EXECUTIVA por El Lif Beatz.

GRAVADO NO ESTÚDIO COMPANHIA DOS TÉCNICOS.

Juyè Ewhin © 2020